A Beleza Do Que Não Vemos

by Bruno Pedrassani

Sempre acompanho a epopéia tradutório-literária da Denise Bottmann, no Não Gosto de Plágio, e volta e meia ela posta alguma foto sem texto algum, só com título e link. A última postagem que vi foi esta, com o link apontando pro The Sartorialist.

E como a inspiração é algo que podemos procurar o quanto quisermos, mas ela só vem na hora que quer, cá estou escrevendo este texto. Como algo pode ser belo sem ser visto? Não é a beleza um conceito que depende da visualização pra existir? Vejam a belíssima imagem abaixo:

Lendo os comentários da postagem no próprio The Sartorialist, encontrei vários “Love This“, “Sublime“, e adorei o estilo e as roupas; e outros tantos de pessoas imaginando o quão bela é a modelo da foto. Ou melhor, o quão belo é o rosto dela, uma vez que é a única coisa aparente que não temos idéia de como é. Como nos comentários, podemos elogiar as pernas, o calção, as mãos, o cabelo, mas o rosto é somente uma idealização.

E mais: o dicionário nas costas evoca outras questões que não vemos, mas podemos imaginar. Por que raios ela carrega um imenso dicionário nas costas? Pra onde ela está indo? Onde ela está? O que são aquelas cores fora de foco ali no chão?

Nada disso vemos, nada disso sabemos, e isso faz a beleza da foto. Isso faz a beleza de muitos momentos, e o fato de termos que preencher uma lacuna com a imaginação é o que evoca esses sentimentos.

Imaginação

Imaginação é tudo.

É a prévia das próximas atrações da vida.

(Albert Einstein)

Dá pra completar ainda, porque Einstein falou um pouco mais: “Imaginação é tudo. É a prévia das próximas atrações da vida. Imaginação é mais importante que conhecimento.“.

Quantas vezes já ouvi mulheres reclamando – e com razão – de quando veem outras mulheres com minissaias que deixam tudo à mostra. A questão aqui não é o quanto você consegue ver, mas sim, o quanto você fica com vontade de ver. O quanto a mulher não mostra e, consequentemente, você tem que imaginar. E eu nunca tinha pensado no assunto, mas agora percebo porque eu sempre gostei de mulheres com as costas à mostra. Você não vê nada “interessante”, mas mesmo assim, acaba atraído. É a beleza do desconhecido.

Mulheres têm esse conhecimento escrito em seu DNA, mas isso não serve só para elas. A nossa imaginação preenche tantas lacunas diariamente, que nem sequer nos damos conta.

Eu não lembro de quantas vezes tive tudo que quis, mas certamente eu me lembro das vezes que tive metade, e a outra metade imaginei.


5 Responses to “A Beleza Do Que Não Vemos”

  1. Paulo disse:
    Usando Google Chrome Google Chrome 12.0.742.112 no Windows Windows 7

    Muito bom.

  2. Usando Internet Explorer Internet Explorer 8.0 no Windows Windows XP

    olá, bruno, é um encanto esta foto, não?

    que bom que te inspírou um texto tão legal!

  3. Ricardo disse:
    Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 5.0 no Windows Windows 7

    Cara, achei bem bacana o texto. Já tinha lido a um tempo atrás via Buzz e tenho acompanhado muito por lá teus textos. Só agora vi aqui o layout diferente, e ficou bem massa ! Diferente.

Deixe uma resposta

Top
Theme by Selim Alvele | Copyright 2014 Nódoa do Universo | Powered by WordPress | 71 queries in 3,955 seconds.